23 de fevereiro de 2010

Fazer Viver


Estou buscando me reencontrar
Me seguir E saber de novo quem fui e não vou enlouqucer por causa de meia dúzias de safados e torturadores mentais E que todos ardam nos quintos dos infernos... Como afirmam Minhas Pragas, estarei assisitindo de camarote... Acreditava totalmente na liberdade e na pureza do Fazer Tanto que a frase da exposição era Não creio no ideal que se confunde no compromisso com a virtude. Prefiro a sensação de fazer e a liberdade na obra.
Prazer de fazer Prazer
Incessante busca na existência... 

Enseio onde se confundem homens e mistérios 
Homens e Ministérios. 
Prazer Lazer Prazer 
Espasmos
Pleonasmos
Vácuo 
Fátuo
Som contínuo de chuva... 
Rítmos roucos 
Loucos de vida 
Descompassados na inspiração ofegante. 
Amor labor
Amor.. 
Torpor em que se entregam os Camões 
E e dissolvem Jacós eternamente. 
Onde vencido e vencedor soa uníssono e semelhante
Viver Fazer 
Viver 
Crer na potência do Verbo Infinito 
Fazer Viver

Um comentário:

Eduardo Dalla Costa disse...

Prazer em ler o que escrito foi, em uma linguagem de letras compartilhadas com a sabedoria e a sensatez.

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!