28 de março de 2010

A PROSTITUIÇÃO E A CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL


Não estou fazendo apologia à prostituição...
Mas negar que ela exista, é negar a existência da civilização ocidental.
Queiramos ou não, é uma profissão que alimentou e alimenta sonhos, desejos e bocas famintas em todos e de todos os sentidos.
Não digo isso para ofender as classes sociais que fecham os olhos para as desigualdades, amaldiçoam as cotas, fingindo que as oportunidades são iguais para todos, que vivemos num mundo justo e limpo e que a natureza é inesgotável.
Os cafetões que espoliam e agridem as mesmas existem por que a profissão é transgressora dos preceitos da “moral e dos bons costumes” e afeta ou já afetou principalmente as famílias no que elas têm de mais sagrado: O capital, ou de melhor os chamados “Bens de Capital”.
Houve épocas em que as cortesãs eram o refúgio dos guerreiros, o deleite das elites, o alívio para esposas obrigadas ao matrimônio forçado, “O âmago da Sociedade” que tinha por único entretenimento as Igrejas e o medo da excomunhão.
Houve épocas em que o conhecimento só era acessível à elas enquanto mulheres ‘livres”.
No oriente eram incluídas e aceitas pelas comunidades que não tinham vínculos com as religiões ocidentais.
Eras escusas, ocultas, para os hipócritas e demagogos.
Gigolôs?
A delegacia de mulheres está cheia de denúncias sobre os mesmos... legítimos ou não.
Mulheres que chegam em casa após horas de trabalho “honesto”, são espancadas e violentadas por cafetões embriagados e agressivos que as esperam na ânsia de saciar suas “fissuras” e psicoses.
Degradação Moral, é a decadência em que todos vivemos... É onde se encontram os guardiões das virtudes e da justiça.
Basta assistirmos aos programas de entretenimento, aos noticiários, às novelas, aos plenários, e demais invasores, que entram em nossas casas pela TV e que também alimentam nossas mentes sedentas de sangue e depravação.
Estamos e somos como os espectadores de lutas espetaculares nas arenas de Roma.
Adeptos da devassidão e amantes da perversão.
Tudo isso acontece com o nosso consentimento e nossas bênçãos extensivas aos nossos filhos e dependentes.
Nós abonamos e validamos determinadas condutas para podermos colocá-las sob escárnio e desacato.
Por que culparmos nossos governantes se eles são o espelho das nossas carências e limitações.
Da nossa covardia e degeneração!
Somos os culpados por nossas crianças martirizadas e estupradas.
Mesmo sabendo que estamos sendo escravizados pelo capital, que as riquezas estiveram sempre nas mãos de poucos, nas mãos de castas que se mantêm através das religiões e outras formas de manipulação, não nos revoltamos!...
Não reagimos, nem confrontamos, nem às regras e muito menos à nós mesmos.
Nós somos os mantenedores das instituições!
Não protegemos nem respeitamos nossos lares, nossas riquezas naturais, nossas tradições no que elas possuem de melhor... Se é que possuem...!!!
O que queremos ocultar?
O que tentamos esconder e disfarçar?
O que realmente somos?
Nós somos o reflexo da nossa educação!...
E como diz o ENEM, sem remorso e sem medo de errar: Somos o “CERUMANO”.
Nós sabemos o que nos espera, projetamos o que será o nosso futuro, e também temos a certeza que ele será sombrio, devastador e nefasto.

Maria Tereza Penna

2 comentários:

jozahfa disse...

Nem tanto Tereza. Nós dois, por exemplo, não somos mais tão assim. Temos que aumentar a nossa cota.

Sônia Mossri disse...

Por isso, sou favorável à regulamentação da profissão prostituta. Elas estão aí e merecem seus direitos.

Assim, as reais "putas" ficariam claras.

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!