14 de março de 2010

Massa não alcança mais Alonso


Você encontra este texto também em meu sitewww.virobscurus.com.br,

Massa não alcança mais Alonso. E
o espanhol já é o campeão de 2010.

Entenda por que Massa caminha para
ocupar lugar de Rubinho como eterno vice

Não adianta, a Fórmula 1, que virou um grande negócio restrito aos europeus, continua uma farsa, um jogo de cartas marcadas: depois de uma pausa para refrescar, as grandes equipes voltaram à ponta, a Ferrari na frente. E, é certo, nenhum brasileiro ganhará o Mundial nos próximos dez anos. Felipe Massa pode tirar o cavalo da chuva: não alcança mais Fernando Alonso, que venceu hoje com todos os méritos o GP de Bahrein e já é o campeão do Mundial de 2010. Está escrito, como venho dizendo desde o ano passado. Mesmo que Alonso não tivesse ultrapassado Massa no começo do GP de hoje, o teria feito no pit stop para troca de pneus, pois será favorecido até o final pela equipe.

O brasileiro não alcança mais o espanhol em 2910 por esta e outras razões. As outras: Felipe é mais rápido e melhor piloto que Alonso, e já provou isto neste início de temporada, mas a diferença de qualidade entre os dois pilotos é mínima. Por outro lado, o espanhol leva vantagem em tudo o mais, principalmente nos bastidores da Ferrari. Vai ser favorecido nos pit stopsaté o fim da temporada. Se por acaso Massa estiver na frente dele numa corrida, vai ser ultrapassado na troca de pneus. Inclusive, Alonso deve se transformar, este ano, no novo rei dos pit stops, tirando a coroa de Schumacher, que fazia o mesmo em relação a Rubinho.

Como Alonso começou com uma vitória no Bahrein, a Ferrari já tem argumentos mais do que suficientes para favorecer doravante o espanhol em tudo, inclusive em dar a este, já, já, a condição de número um. Em suma, tudo pesa contra Massa, que vai ter de correr o ano inteiro sob esta forte e intensa pressão, que é derrotar seu companheiro de equipe e toda a Ferrari, enquanto Alonso correrá mais tranqüilo, consciente de que já pode sorrir.

Atenção: Massa só passa de Alonso na atual temporada se o espanhol sofrer acidentes ou enfrentar mais problemas com seu carro do que Massa.

Mesmo assim, a possibilidade de Alonso ser mais favorecido que Massa neste item (acidentes, quebra de motor etc.) é infinitamente superior à do brasileiro: embora menos rápido, Alonso é mais experiente que Massa, portanto, estará menos sujeito a acidentes; além disso, o espanhol terá maior apoio da Ferrari em toda a temporada, o que significa que seu carro será mais seguro e menos sujeito a quebras que o de Massa (além do que, como acontecia com Schumacher e Rubinho, os erros da equipe nos pit stops etc. serão muito maiores em Massa do que em Alonso).  

Por todas essas razões, Alonso já é o novo campeão da atual temporada. Nem mesmo Sebastian Vettel ou qualquer outro piloto, como Schumacher, têm chances, apesar do bom começo dos dois alemães. Isto porque, se eles também contam com carros rápidos, estes não são tão estáveis e seguro quanto as Ferrari. A McLaren, talvez, possa vir a brigar pelo título, mas ponho mais fé na Ferrari e não tenho mais nenhuma dúvida de que, “haja o que hajar”, venha a ser Lewis Hamilton o campeão mundial deste ano ou não, Massa não alcança mais Alonso.

E atenção. Você não precisa acreditar em nada disso que estou levantando aqui. Eu também não tenho bola de cristal. E erro, às vezes, nos prognósticos. Mas tenho acertado muito mais do que errado, principalmente quanto à Fórmula 1. Basta ver, abaixo, a previsão que fiz a respeito da temporada de Fórmula 1 do ano passado, logo após o sexto GP (de um total de 17).

Ela foi feita no começo daquele Mundial, a 24 de maio, após a quinta vitória consecutiva de Jenson Button, que acabou sendo campeão. Foi um e-mail que mandei ao jornalista especializado em F-1 do SporTV, Lito Cavalcanti, e que depois transformei em mensagem enviada a meu mailing que hoje já tem perto de 10 mil nomes. Repare que eu já falava, na época, que a Fórmula 1 era uma farsa e também dava como certa, após o sexto GP, a vitória de Jenson Button. Confira a seguir. Abraços a todos, Tom Capri.


24/5/2009
Fórmula 1: para mim, Mundial acabou,
Jenson Button já é o novo campeão

(E-mail enviado a Lito Cavalcanti, do SporTV)

Oi, Lito. Para mim, o Mundial de Fórmula 1 acabou hoje, com a quinta vitória de Jenson Button, em Mônaco. Não espero mais nada, daqui para frente. Button já é o novo campeão mundial, salvo se ele ou sua equipe vierem a errar feio doravante ou se o piloto vier a sofrer algum acidente que possa tirá-lo das pistas, o que não é improvável, mas muito difícil de acontecer. Vale acrescentar: em Mônaco, Button conquistou para valer o posto de piloto número um da Brawn, sua equipe, e derrubou Rubinho de vez.

Barrichello, que começou a temporada de novo como "escada" de um companheiro de team, no caso Button, vai ter de chupar dedo até o final do Mundial, ou seja, de se contentar e se conformar, já que não pode esperar mais do que um vice, este ano. Quem ainda tem chances de incomodar ---- as Ferrari, as McLaren etc., e, friso, elas podem crescer, encostar e até superar a Brawn ----, já perdeu muito terreno, tem mais é de pensar agora na temporada de 2010.

Button disparou na frente, no campeonato, favorecido desde o começo pela sua equipe. Sempre teve maior apoio e melhor carro. Ainda assim, Rubinho, que está acima de Button como piloto e é hoje um dos três melhores da Fórmula 1, bem que tentou buscar o posto de número um, principalmente na Espanha, mas sua equipe não deixou. Seria uma burrice muito grande agora, a essa altura do Mundial, a Brawn passar a favorecer Rubinho, para levá-lo às primeiras vitórias, deixando Button como o segundão na parada. As equipes de F-1 erram muito na F-1, mas não tanto.

Importante é ter isto em mente, Lito: a Brawn sempre esteve certa em favorecer Button. No que eu sempre me bati foi para que isso tivesse sido divulgado pela mídia. Ao contrário, o fato vem sendo sonegado e o será até o final da temporada, com certeza, pelos motivos que já expus a todos: a Globo e suas subsidiárias não podem abrir a boca, sob pena de perder os direitos de transmissão. E os jornalistas especializados dos demais veículos, principalmente por aspirarem colocar um pé na Rede Globo ou por temerem que a Fórmula 1 se esfacele, não vão divulgar isso nunca.

Outro dado importante, Lito: se a Brawn tivesse apostado mais em Rubinho desde o começo, com certeza Button não teria dado conta do recado nem como escada do brasileiro. Rubinho, ao contrário, por ser melhor piloto que Button, fato que já comprovou fartamente nas pistas e mesmo neste Mundial, é também melhor escada que o britânico e está sendo o grande responsável, na qualidade de "ajudante" e carregador de piano, por essas vitórias de Jenson. 

Não fosse Rubinho na pista como escada do britânico e Button não teria ganhado tanto este ano. É visível que Rubinho tem garantido as vitórias de seu companheiro, como vimos principalmente no GP de Barcelona e agora em Mônaco. Ou você tem alguma dúvida que a Brawn não deixou Rubinho ganhar de Button nem em Barcelona nem em Mônaco?

Estou com Bárbara Gância e não abro. Rubinho tem mais é que se calar, neste momento. A culpa é muito mais dele por não ter conseguido ser, ainda, piloto número um numa equipe de Fórmula 1.

A categoria é esse jogo meio que de cartas marcadas, já sabemos. Número um raramente é o melhor piloto da equipe, mas sim o que leva mais patrocinadores, o que é de preferência europeu, o que é mais boa pinta, o que tem mais cara de ídolo etc. Na Brawn, Button é quem mais soma essas "virtudes", além de ser piloto já tarimbado, com qualidades inegáveis, e que já foi ídolo dos britânicos, em seu começo na F-1.

E mais: Rubinho já havia encerrado a carreira, quando foi chamado pela Brawn. E sabia de tudo isso. Se sabia e fechou contrato, aceitando mais uma vez todas essas condições e essas premissas, não pode agora sair disparando fogo contra a própria equipe. E é o que ele vai fazer, daqui para frente, tenho certeza.

O que não dá para aceitar é a mídia continuar escondendo tudo isso dos fãs do automobilismo e começar a dizer, de Jenson Button, que ele é o novo Jim Clark da Fórmula 1. Um recado meu direto para os melhores jornalistas especializados em Fórmula 1 do País, como você Lito Cavalcanti, e também para os mais abusantes, medíocres e comprometidos, como Fábio Seixas, da Folha e da UOL. Tomem todos muito cuidado, porque vem pau por aí de tudo quanto é lado. Isto não vou deixar passar. Abraços, Tom.

Nenhum comentário:

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!