21 de agosto de 2012

Eu Pronuncio Teu Nome

Ilustração de Maria Tereza Penna

Se as minhas mãos pudessem desfolhar 

Eu pronuncio teu nome
nas noites escuras,
quando vêm os astros
beber na lua
e dormem nas ramagens
das frondes ocultas.
E eu me sinto oco
de paixão e de música.
Louco relógio que canta
mortas horas antigas.

Eu pronuncio teu nome,
nesta noite escura,
e teu nome me soa
mais distante que nunca.
Mais distante que todas as estrelas
e mais dolente que a mansa chuva.

Amar-te-ei como então
alguma vez? Que culpa
tem meu coração?
Se a névoa se esfuma,
que outra paixão me espera?
Será tranqüila e pura?
Se meus dedos pudessem
desfolhar a lua!!
Frederico Garcia Lorca

Eu já pisei descalça no mar olhando para as estrelas esperando um sinal seu...
Chamei seu nome baixinho num sussurro, para que só você pudesse ouvir...
Sabia que viria voando se encaixar nos braços meus
Cumprindo a promessa dos amigos eternos...
Acalmando e acalentando coração separado
Enquanto a chuva escorria por meu rosto molhado de espera deserta...

Maria Tereza Penna



Um comentário:

@carllahy_X (Carla Santos) disse...

LINDO!!! SENTI OS DIVERSOS SONS DO AMOR: AI! DE SAUDADE...HUM!!!SUSPIRO DA ESPERA...AH!...SONHO DO REENCONTRO E O ECO DO SILÊNCIO...,QUANDO O CORAÇÃO SE CALA DE DOR!
PARABÉNS!!!!SUCESSO SEMPRE!!!Bjs,

@CARLLAHY_X

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!