21 de maio de 2015

Música das Abelhas

 

BEETHOVEN - O SIGNIFICANTE IMAGINÁRIO

Maria de Lourdes Sekeff

https://drive.google.com/file/d/0BwFQC9weHM_YSjR6TTlUN2dSNTl6eU16NFhNS1FNVVlrU2pZ/view?usp=sharing

Ele não a escolhera. Ele foi escolhido por ela.
Ela arrancou de suas entranhas os desejos indecorosos e secretos que sublimou durante sua vida.
“Um Espanhol Louco.”
Baixo, atarracado, rosto variólico, irascível, um “espanhol louco” como era chamado em razão da tez morena e do gênio violento, Beethoven era freqüentemente tomado por crises de melancolia e fúria. Intransigência e insubmissão marcariam sua personalidade, bem como um rigor moral e intelectual onde não cabia a mentira e a hipocrisia.
Com esclerose do ouvido interno como demonstra um documentado estudo de Francisco Hartung (“A surdez de Beethoven”, Revista Paulista de Medicina, 1946), frente aos sons Beethoven podia não percebê-los da mesma forma que uma pessoa dotada de audição. Não obstante lograva imaginá-los, além do que captava as vibrações sonoras pela pele, músculos, ossos, processo que lhe permitia “construir” internamente o som musical.
"Os freqüentes contrastes entre êxtase, esgotamento e mudanças de humor seriam refletidos em suas obras por súbitas mudanças de andamento, dinâmica, intensidade, densidade tímbrica. E isso na medida em que a criação musical contorna, encobre, disfarça conflitos e até representa um “mecanismo de defesa”, mas nunca os penetra, nunca os revela, nunca os resolve.”
Suas indagações, a eterna e incansável busca da humanidade que se seguem entre perguntas e respostas.
Ao contrário dos que perdem o órgão ou membro com o qual realiza seu ser, a música se materializa através de seus poros.
Ele, o instrumento e a consumação.
O membro e o ato.
 “O fim traria um apaziguamento emocional e a renúncia à lenda da ascendência “nobre”, com os últimos meses de vida propiciando reconciliações e sentimentos de amor.”
Ao final da vida se tornara permanente e universal, a despeito de “ter passado de moda”. E tal como Shakespeare, sua morte “autenticaria” o salvo conduto de pertencer ao mundo inteiro!”

Bee - Abelha - Raínha
Tho - Tho
Ven - Hub Culture

"A aspiração obsessiva à nobreza
levara-o a substituir o termo“van” do nome por “von”, na medida
em que “van”, predicado flamengo, nomeava apenas a região
de origem do seu proprietário, e “von”,

Bee
To
Ven

Beethoven  A Abelha convida ao sublime.


Maria Tereza Penna

Parecer sobre a aula do dia 19/05 - Ícones da Música Ocidental III - Maestro Andersen Viana

2 comentários:

Sylvio Mário Bazote disse...

Incrível como você tem o dom de fazer conexões inesperadas...
Sua percepção capta diferentes tons de imagens e sons, mesclando-os e criando interessantes mutações!
Com sua alma artística (e arteira) continue construindo seu caminho sobre o improvável!

Maria Tereza Penna disse...

Prezado Sylvio,
Você me inspirou há mais uma provaçõ. 101 culpas? he he

Segue a resposta:
http://www.mineiridadeempencas.com.br/2015/06/provacao-do-improvavel.html

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!