2 de setembro de 2012

SAPOS ASSANHADOS


Sapos Assanahados
Maria Tereza Penna
 
Esse sentimento faz meus joelhos tremerem

Ele se manifesta involuntariamente ao teste de reflexo.

Não quero ficar segurando joelhos na frente de doutores.

Não quero que zombem de mim por não controlar os meus joelhos.

Minhas pernas aceitam que meus joelhos as comandem.

Mas meu cérebro pune quando reajo aos impulsos.

Eu sinto vergonha quando minhas pernas pulam como sapos assanhados.

Não posso admitir que membros saiam por ai soltos e livres.

São partes do Meu Corpo

Admitir que, não controlo tudo que me pertence, é acreditar na liberdade.

Na liberdade do existir

Na liberdade do Ser

Acreditar é Ser Livre

Crer é ter Certeza

E Certeza te faz responsável.

Responsável pela Vida

Responsável pelo Prazer de sentir Prazer

Sentir a Vida acontecendo

Na mais Pura das Verdades

E Verdades são muitas

E te fazem escolher

Como escolher entre as Verdades?

Como excluir Sentimentos?

Eu não desisto do Prazer de estar Contigo.

Eu não desisto de Você!...

2 comentários:

Sonia Salim disse...

Lindo demais o seu poema, Maria Tereza!!!
Deixe a vida acontecer!

Beijos!

Sonia Salim

Maria Tereza Penna disse...

Obrigada amiga!
A Vida já está acontecendo!
Na mais incrível verdade!
Só deixar o amor acontecer o resto a gente tira de letra...

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!