18 de março de 2013

I Can Get No Frustration


Prezado Paulo
Encontrei-me com a Emília ontem no sítio.
Disse a ela que você não estava “Mocado”, estava era apaixonado e como você mesmo revelou:  isso dá muito trabalho.
Ela virou-se para mim arqueando as sobrancelhas, deixando sobressair aqueles cílios enormes e  demonstrando estar surpresa; mas sem perder a pose provocadora:
-Diga à ele 3 coisas:
Coisa nº 1: Somos feitos da mesma matéria. Eu vi quando Tia Anastácia costurou seus olhos. Olhos que enxergam no escuro. Iguaizinhos aos meus.  Mande que ele evite namorar na biblioteca, nem fique atrás da estante “Que é nosso cantinho”.
Coisa nº 2: Nunca me ignore ou diga que sou uma boneca de trapos feita pelas mãos rudes de uma escrava.
Olhando para cima, dedilhando as bochechas e, batendo os pezinhos ritmadamente,  abriu a boca para revelar um segredo. Imagina... deve ter sido uma tarefa extremamente humilhante para aquela criaturinha que parecia não ser recheada de macela e sim de orgulho...
Via-se perfeita... perfeitinha e atrevida...
Esqueceu a terceira coisa... Distraíiiiida a boneca... Deve ter só enchimento no lugar de miolos.
-Sabe, disse ela me olhando sem o semblante costumeiro e prepotente:, Tia Anastácia quando me costurou, já estava gagá e esqueceu uma sementinha de Jatobá no meu peito...
Eu tenho receio de me molhar e um medo enorme de ser esquecida na chuva.
Já pensou?
Se isso acontece e essa semente brota aqui dentro?
Eu vou me tornar a namorada do Frankstein, pois a Tia Anastácia terá de arranca-la do meu peito.
E se a semente “vingá”, eu serei parte dela...
E continuou matutando....
E se a semente morrer?
Enterrará meu coração com ela....
Pensou... Pensou... bateu, bateu, bateu pezinho...
Depois ela me deu um susto daqueles!...
A danada deu um pulo e saiu saltando igual sapo e cantando:
Não sou ciumenta... Não sou ciumenta, não sou ciumenta... Até eu só escutar apenas, alguns sons inaudíveis ao longe...
É... A Emília é esquisita mesmo.
Vá lá tentar entender uma boneca de pano...
Vá lá... Vê lá se pode dar bola pra tanta sandice?
Principalmente uma que se julga Marquesa e a quem você carinhosamente chama de Viscondessa.
Ela pensa que é gente!
É tão pretensiosa que ainda acha e se julga no direito de possuir Alma Feminina...
Se a pestinha “cismá” ela manda Tia Anastácia criar um clone seu pra ela...
Ah! Emília... Emília... Só ela mesmo...

Um comentário:

Sylvio Mário Bazote disse...

O Sítio do Picapau Amarelo é terreno fértil para depositar sementes de sentimentos e germinar deliciosos frutos de criatividade, como essa postagem.

MINHA FORTALEZA


VOLTA PRA MIM!!!
MESMO QUE ESTEJA EM OUTRA DIMENSÃO!!